Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Por detrás das palavras

Contacto

29.08.13
Caros leitores,

A partir deste momento está disponível um e-mail de contacto!

Caso queiram reclamar, deixar sugestões... Enfim, para dizerem aquilo que vos vai na alma.

Fica aqui o endereço, assim como ficará na barra lateral direita do blog

pordetrasdaspalavras@gmail.com

Não se inibam.
Boas leituras!
Silvana

Empréstimos

28.08.13

Eis que no domingo "assaltei" a estante de um familiar e olhem só a pilha fantástica de livros que consegui emprestada.

Desse lado, já leram algum? Sugerem algum destes livros para ler em primeiro lugar?

Títulos (de cima para baixo):
  1. O beijo da inocência
  2. A princesa de Teerão
  3. Escrava
  4. Casada à força
  5. Um refugiu para a vida
  6. Nunca digas adeus
  7. Porto Seguro
  8. Milagre em Nova Iorque
  9. O perfume
  10. Livre

Boas leituras!

Palavras Memoráveis

28.08.13
É bom ter sonhos, talvez até essencial, mas não se pode viver de sonhos. Na verdade, a realidade é tudo o que realmente temos no dia-a-dia.

***

O que torna uma coisa ou combinação de coisas especial ou diferente, única, é a sua variação ou padrão. Ter meramente características especiais não é nada se a pessoa continuar a seguir os padrões normais, quotidianos e mundanos - é um desperdício.

Frases retiradas do livro Tempo roubado de Sunny Jacobs

Dia 43 * 45 days book challenge

28.08.13
Dia 43 – Livro que marcou a infância

Foram muitos os livros que fizeram parte da minha infância que torna difícil eleger um. 

Pelas minhas mãos passaram os livros d' Uma aventura, Triângulo Jota e o Bando dos quatro. Apesar de ter gostado desta série, há uma autora que me "ofereceu" livros apaixonantes e que ainda hoje gosto de os reler. Essa autora é Sophia de Mello Breyner Andresen.


Os meus livros preferidos da autora:


Na adolescência houve um outro livro que me marcou e que reli algumas vezes naquela altura. O livro em questão é:

Novos tempos (Leitora Beta) [Opinião]

25.08.13

Novos Tempos

Autor: João Silva
Ano: 2013
Número de páginas: 202 páginas (ebook)
Classificação: Estrelas

Sinopse
"A natureza pode suprir todas as necessidades do homem, menos a sua ganância" - Mahatma Gandhi

Como faria se o planeta que conhece deixasse de existir? Se tivesse de sair à rua com botijas de oxigénio para poder respirar e a água fosse um bem tão raro, que só saísse das torneiras duas vezes por dia, durante uma hora? É nesse planeta que Sara Antunes, uma rapariga com dezanove anos, vive com a mãe doente. Ela tem de ter dois empregos para conseguir pagar o oxigénio, a água e a comida geneticamente modificada que consomem. O mundo cedeu às guerras nucleares, à poluição excessiva e ao uso abusivo de recursos naturais. Agora, encontra-se dividido em três grupos: Os Soberanos, os Mensalinos e os Excluídos. A Ar para a Vida, empresa que detém o monopólio das botijas de oxigénio, é a empresa mais lucrativa a nível mundial. Sara descobre algo sobre a empresa que faz com que tenha de fugir para sobreviver. Surge então uma ameaça, um homem misterioso que se autodenomina “Ele”. Sara teme que “Ele” revele o seu segredo. Um segredo que ela pensava que estava morto e enterrado.

Opinião
Novos Tempos foi mais uma das minhas leituras como Beta-Reader e, mais uma vez, fui agradavelmente surpreendida.
Este livro transporta-nos para o futuro. Um futuro em que o mundo sofreu mudanças drásticas. Essas mudanças são-nos apresentadas (maioritariamente) através dos olhos de Sara, uma jovem que enfrentará alguns problemas.

Sara é um boa personagem feminina. Está bem construída e bem caracterizada. É alguém que encerra em si qualidades e defeitos que a tornam uma personagem credível e ajustada à realidade. Uma jovem que esconde algo do seu passado que a fragiliza. É corajosa e forte, mas penso que devia ser um pouco mais desconfiada devido ao seu passado e às suas vivências.  

Matias e Henrique são as duas personagens masculinas que vão fazer parte da vida de Sara. Gosto mais do Henrique e gostava de ver esta personagem um pouco mais desenvolvida. Queria salientar que nesta segunda versão que lo, o Henrique teve uma evolução muito positiva acrescentando um novo interesse à história.
Ainda em relação ao Henrique só tenho curiosidade em saber mais sobre a sua história de vida e aquilo que o levou entrar para o grupo dos Rebeldes. 
Matias é um rapaz bondoso de mais, pertencente a uma classe social superior. Também gostei dos novos elementos que foram introduzidos na história familiar de Matias.

"Ele" é o grande mistério do livro. Um homem (ou mulher - não sei porquê mas nesta segunda versão comecei a colocar a hipótese deste "Ele" ser uma mulher) que tem um objectivo muito claro em relação à classe social mais desfavorecida. Também este "Ele" sofreu alterações positivas em comparação com a primeira versão que li. Esta personagem do livro é um aspecto bem conseguido por parte do João porque consegue criar mistério, suspense e curiosidade. 

No geral, é um bom livro, mas ainda carece de alguns ajustes. A fase inicial do livro precisa de ser re-organizada de modo a criar uma narrativa coerente e sem repetições. O final está muito melhor do que aquele que li na primeira versão e apenas necessita de um ajuste em alguns momentos devido à presença de algumas falhas. Em certas partes do livro falta, também, alguma descrição... Por vezes parece que estamos a ler frases soltas em que falta um encadeamento sedutor na narrativa. 

Só me resta agradecer ao João a oportunidade de ler o seu livro. Espero que a minha opinião tenha contribuído para melhorar o livro e que o sucesso dele esteja para breve.

Deixem-se invadir pelas palavras.
Boas leituras!
Silvana

Dia 40 * 45 days book challenge

24.08.13
Dia 40 – Autor(a) cujo talento invejas

Está é uma pergunta difícil porque na verdade eu não invejo o talento de ninguém e sim admiro esse talento. 
Por isso vou escolher uma escritora portuguesa que admiro. É uma jovem com talento e que para ela criar fantasia parece tão natural que me deixa com alguma inveja (só eu sei os meus dilemas com este género literário).  

E a escolhida é:

Liliana Lavado

Acho que ela percorreu um longo caminho para o que o seu trabalho fosse reconhecido e isso é de louvar! 

Pág. 1/4