Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Por detrás das palavras

[Opinião] O beijo da noite (Predadores da Noite #5)

31.07.14

O Beijo da Noite (Predador da Noite, #5)

Autor: Sherrilyn Kenyon
Ano: 2010
Editora: Saída de Emergência
Número de páginas: 299 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Predador da Noite... um guerreiro imortal que entregou a alma a Ártemis por uma oportunidade de vingança contra os seus inimigos. Em troca, jurou passar a eternidade a proteger a humanidade dos daemon e dos vampiros que se alimentam dela. O Predador da Noite Wulf é um antigo guerreiro viking com um poder útil mas muito irritante: amnésia. Ninguém que o conheça pessoalmente se lembra dele passados cinco minutos. Torna fáceis os engates de uma noite, mas difícil qualquer relacionamento mais sério e, sem encontrar o amor verdadeiro, não poderá recuperar a alma. Depois conheceu Cassandra, a única mulher capaz de se lembrar de si. No entanto, enquanto princesa da raça amaldiçoada que Wulf jurou caçar, ela está-lhe proibida... Mais uma obra fenomenal que coloca Sherrilyn Kenyon directamente no topo do melhor romance paranormal.

Opinião
O beijo da noite é o quinto livro da série Predadores da Noite, e o segundo livro que leio da série. O facto de ter lido o primeiro volume e ter saltado logo para o quinto, não me impediu de compreender a essência da história. Sei que mais para o fim aparecem personagens que fazem parte de volumes anteriores, mas isso não limitou a minha compreensão.

Humor! Um dos aspectos mais positivos do livro. Wulf e Cassandra, Wulf e Chris brindam-nos com diálogos divertidos e humorísticos que nos arrancam alguns sorrisos.

Toda a narrativa que envolve as confusões com os Deuses e as diferentes criaturas e mundos criados demonstram a criatividade da autora. O que se torna em mais um ponto positivo do livro.

Achei que alguns momentos finais foram apressados e houve outro aspecto que penso ter sido uma falha da autora. Cassandra tinha uma amiga, Michelle que depois de um determinado acontecimento deixou de aparecer no livro e tanto Cassandra, como a sua guarda-costas Kat, nunca mais se lembraram dela nem do que ela estaria a passar depois de elas terem desaparecido.

É uma leitura agradável, fluída e divertida. Pessoalmente, acho que o livro não possui o dom de me encantar e de me deixar algum tipo de marca sentimental, ou seja, é um livro que não causa impacto suficiente em mim que me deixe ligada a ele.

[Opinião] Lições de Desejo (Rothwell Brothers # 2)

30.07.14

Lições de Desejo

Autor: Madeleine Hunter
Ano: 2011
Editora: Asa
Número de páginas: 368 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
Se Phaedra Blair não possuísse tanta beleza e estilo, a alta sociedade achá-la-ia apenas estranha. Mas como a Mãe Natureza a dotou de ambas as coisas, consideram-na interessante e excêntrica. Ela é uma mulher à frente do seu tempo. Deseja liberdade e persegue um sonho. Apaixonar-se não está nos seus planos imediatos. Aliás, o seu primeiro encontro com Lorde Elliot não é auspicioso. Injustamente presa, será graças ao poder e charme do jovem que consegue escapar. Mas Phaedra depressa descobre que o preço da sua "liberdade" é ficar virtualmente ligada ao seu "herói". Pois Elliot Rothman não agiu apenas numa missão de boa vontade. O seu objectivo é garantir que Phaedra não publicará um manuscrito que ameaça destruir o bom nome da sua família, e para tal, ele está disposto a tudo. Não contava, porém, encontrar uma adversária à sua altura. Os dois jovens vão debater-se com as convenções de uma sociedade rígida e, acima de tudo, com sentimentos tão intensos quanto contraditórios.

Opinião
Parece que este será o ano de colocar em dia a leitura das obras de Madeleine Hunter. É o segundo livro que leio da autora este ano e ainda tenho mais um para ler.

E agora vocês perguntam: foi com estes livro que te conseguiste encantar com as obras de Madeleine Hunter? E a minha resposta é não. Mais uma vez não posso dizer que é um mau livro, mas também não é aquele tipo de livro memorável.

Tal como os livros anteriores é um livro agradável de ler, com uma narrativa que se vai desenvolvendo de forma satisfatória, mas que não consegue ter a intensidade suficiente de me deixar arrebatada pela história e pelos personagens.

Esperava mais de Phaedra Blair. Estava à espera de uma personagem mais forte, mais defensiva dos seus princípios e que desse mais luta a Elliot. Ela tornou-se tão submissa e tão emocionalmente ligada a ele que aquela resistência final em relação a um aspecto do livro, que eu não quero revelar porque é spoiler, parece exagerada e artificial perante a forma como os factos se foram desenvolvendo.

Gostei dos conteúdos ligados às descrições das cidades italianas por onde Phaedra e Elliot passavam, assim como dos aspectos ligados à arte.

Continuo a achar que há uma valorização da componente física em detrimento da componente emocional. Parece que para as personagens se apaixonarem, primeiro tem de haver uma ligação física. Este aspecto não é bom, nem mau. É uma escolha da autora e está mais relacionado com os leitores e aquilo que faz mais sentido para eles. Pessoalmente, acho que a tensão sexual entre as personagens e a atracção física surge de uma forma quase instantânea. Como se fossem atingidos por um raio e de repente pufff! tudo acontece!

É certo que para quem já leu outros livros de Madeleine Hunter e gostou muito, este vai de encontro as expectativas. Pessoalmente, continuo a achar que falta mais qualquer coisa a estes livros.     

[Opinião] A Cabana

29.07.14

A Cabana

Autor: Wm Paul Young
Ano: 2008
Editora: Sextante
Número de páginas: 238 páginas
Classificação: 3 Estrelas

Sinopse
E se Deus marcasse um encontro consigo?
As férias de Mackenzie Allen Philip com a família na floresta do estado de Oregon tornaram-se num pesadelo. Missy, a filha mais nova, foi raptada e, de acordo com as provas encontradas numa cabana abandonada, brutalmente assassinada.
Quatro anos mais tarde, Mack, mergulhado numa depressão da qual nunca recuperou, recebe um bilhete, aparentemente escrito por Deus, convidando-o a voltar à malograda cabana.
Ainda que confuso, Mack decide regressar à montanha e reviver todo aquele pesadelo. O que ele vai encontrar naquela cabana mudará o seu mundo para sempre.

Opinião
A Cabana é um livro que já estava há bastante tempo na minha estante à espera de ser lido. A primeira vez que ouvi falar dele foi numa reunião de estágios e os comentários tecidos em torno do livro suscitaram a minha curiosidade. 

Perder um filho deve ser uma das piores experiências emocionais. Teoricamente sei as implicações, as dificuldades e as fases de luto pelas quais os pais vão passando. Acho que e fácil compreendermos o sofrimento, mas é extremamente difícil colocarmo-nos no lugar destes pais. Mack e Nan, personagens deste livro, viveram este sofrimento na pele com o desaparecimento da sua filha Missy. Neste caso, o luto é ainda mais difícil de ultrapassar porque não existiu um corpo para chorar. Assim, é mais difícil ultrapassar as diferentes fases sem o elemento concreto da morte de alguém. As pessoas são sempre invadidas por pequenos "ses" que vão tornando as coisas mais complicadas.

Mack foi sobrevivendo... A morte de Missy sempre a transtorná-lo. E eis que recebe um convite de Deus para um encontro com ele na cabana onde foi encontrada uma mancha de sangue e o vestido da Missy. Colocando de parte todas as minhas convicções religiosas consegui olhar para este livro muito para além daquilo que é a Igreja e a religião. Colocou-me a pensar acerca da fé, do perdão e na forma como resolvemos as coisas em nós sem esperar algo do exterior. 
Uma ideia muito interessante do livro é a abordagem da necessidade de controlo dos Humanos sobre várias questões da vida para se sentir seguro e amado. A sociedade impõe-nos tanto esta necessidade de controlo que acabamos por conceber as relações com os outros em termos verticais (alguém que manda e alguém que obedece) em vez de procuramos estabelecer relações horizontais (ausência de hierarquias) em que o mais importante é a nossa comunhão com os outros.

Um outro aspecto que quero salientar do livro, e que o autor aborda muito bem é a facilidade com que fazemos julgamentos, muitas vezes de forma leviana. É fácil julgar, difícil é ver para além do que é óbvio, ver tudo aquilo que faz daquela pessoa aquilo que ela é. Não nos está a dizer para concordar com as situações, o livro simplesmente nos convida a olhar mais além.

Este livro pode não ser do agrado de muitas pessoas. É um livro que toca temas que não são agradáveis em termos de leitura de acordo com os gostos literários das pessoas. É um livro um pouco filosófico que coloca os leitores a pensar em questões religiosas, na relação do Homem com Deus e das relações estabelecidas entre os seres humanos. Por ser um livro com temas muito específicos é provável que alguns leitores não se sintam confortáveis nem agradados com a leitura. Pessoalmente gostei da leitura, gostei da forma como a religião me foi mostrada e consegui questionar-me acerca de alguns aspectos pessoais.

Maratona Viagens (In)Esperadas | Bingo Literário de Verão - Dia 8 e 9

29.07.14
Maratonas | Viagens (In)Esperadas

Monday Bookshelf mix #2
Que 3 cores associas ao Verão? Mostra-nos 3 livros que gostarias de ler ou comprar neste Verão, um para cada uma das cores escolhidas.

Ficam aqui três livros que eu gostaria de comprar.

Azul - Lembra-me o mar. Não sou muito adepta de praia, mas associo sempre o mar e a água ao Verão e aos dias quentes. O livro Perdoa-me de Lesley Pearse tem uma capa muito fresca e a lembrar o Verão com aquele Azul de fundo.
Perdoa-me

Amarelo - É sinónimo de sol e de calor. O livro A filha do Barão de Célia Loureiro tem uns tons amarelados. Nunca li nada da autora, mas tenho imensa curiosidade. 
A Filha do Barão

Verde - Associo o Verão à Serra do Gerês e à imensidão de verde. Um local lindíssimo e que aconselho a visitarem, caso não conheçam. Para esta, decidi escolher o livro Amanhecer ao Luar de Jude Deveraux. Apaixonei-me pelos livros da autora através assim que li Jardim de Alfazema e Dias de Ouro por isso posso dizer que este livro está na minha wishlist.
Amanhecer ao Luar (Edilean #6)

Check point #3
Desde o meu último Check point só terminei a leitura do livro A Filha do Capitão de José Rodrigues dos Santos. E foi uma óptima leitura.


Bingo Summer Recommendations # 5 - Continente diferente do Norte Americano

Sugestão da Catarina: Persepolis de Marjane Satrapi
"Persepolis" é uma autobiografia gráfica, narrada com ilustrações monocromáticas simples que contam a história da infância e adolescência de Marjane Satrapi no Irão. Apesar de abordar temas reais e difíceis que nos levam a reflectir, a história é contada de uma maneira inteligente, comovente e, por vezes, até muito divertida

Sugestão da Silvana: O Jardim dos Segredos de Kate Morton
A acção deste livro passasse na Austrália e na Inglaterra. É um livro com um início um pouco complicado, mas depois que conseguimos entrar na narrativa facilmente nos vemos envolvidos naquela história. Alguns aspectos são um pouco previsíveis, mas nem isso deixou de me encantar. Um dos aspectos positivos deste livro são as histórias infantis que vão surgindo lá pelo meio.

Leitura Conjunta | Desafios

28.07.14

Desafio 11
Esta leitura conjunta vai bem com...


Esta música consegue-me transportar para o fatídico dia 9 de Abril de 1918 quando Afonso, Matias e Baltazar, muito estoicamente se renderam. Enquanto ouço esta música consigo visualizar Afonso e Matias a serem levado para Lille para serem presos. 
Com esta música consigo ir, também, àquele última conversa entre Matias e Afonso em que Matias chega à conclusão das dificuldades de sobreviver à Guerra depois de ter vivido nela.

Talvez não seja por acaso, mas hoje por mero acaso recordei que este ano assinalam-se os 100 anos do início da Primeira Guerra Mundial... Este livro foi uma boa forma de viajar no tempo!

Maratona Viagens (In)Esperadas | Bingo Literário de Verão - Dia 6 e 7

27.07.14
Maratonas | Viagens (In)Esperadas

Check Point # 2


Em relação ao número de livros lidos/ páginas não posso dizer que já li muito. Porém com a conclusão da leitura de ontem do livro Nunca Digas Adeus de Lesley Pearse acabei por preencher várias categorias do Bingo. 


Lazy Sunday # 1
Conta-nos como é que o livro que estás a ler veio parar às tuas mãos. Onde ouviste falar nele pela primeira vez e porque decidiste lê-lo? (Maratona de Maio)

Neste momento estou apenas a ler "A Filha do Capitão" de José Rodrigues dos Santos. Ouvi falar deste livro pela primeira vez na faculdade. Uma colega tinha-o recebido como prenda de Natal e estava a adorar a leitura. Nessa época eu estava um pouco afastada das leituras, mas fiquei sempre com curiosidade em relação ao livro. Em conversa com a Marta do blog I only have descobri que também ela tinha curiosidade em relação ao livro, porque nunca tinha lida nada de José Rodrigues dos Santos. Perante esta circunstância decidimos embarcar numa leitura conjunta no início do mês, onde para além de lermos o livro decidimos fazer uns pequenos desafios adicionais. Ainda deu para encaixar o livro no Bingo porque quando começou a maratona ainda faltavam ler mais de 100 páginas.
Posso dizer que até agora estou a adorar o livro. E de certeza que se irá tornar no meu livro preferido do autor.
Lazy Sunday # 1 Conta-nos como é que o livro que estás a ler veio parar às tuas mãos. Onde ouviste falar nele pela primeira vez e porque decidiste lê-lo? (Maratona de Maio)  Neste momento estou apenas a ler "A Filha do Capitão" de José Rodrigues dos Santos. Ouvi falar deste livro pela primeira vez na faculdade. Uma colega tinha-o recebido como prenda de Natal e estava a adorar a leitura. Nessa época eu estava um pouco afastada das leituras, mas fiquei sempre com curiosidade em relação ao livro. Em conversa com a Marta do blog I only have descobri que também ela tinha curiosidade em relação ao livro, porque nunca tinha lida nada de José Rodrigues dos Santos. Perante esta circunstância decidimos embarcar numa leitura conjunta no início do mês, onde para além de lermos o livro decidimos fazer uns pequenos desafios adicionais. Ainda deu para encaixar o livro no Bingo porque quando começou a maratona ainda faltavam ler mais de 100 páginas. Posso dizer que até agora estou a adorar o livro. E de certeza que se irá tornar no meu livro preferido do autor.

Retalhos de uma leitura conjunta

27.07.14

Questões feitas pela Marta do blog I only have sobre o livro



1. Achas que o facto do Afonso mentir ao dizer que trabalha na parte administrativa terá alguma consequência na relação?
Penso que sim! Acho que algo vai correr mal e quem vai sofrer com isso será Agnès. Avizinho um momentos trágicos e dolorosos para o amor dos dois.

2. Que achaste da conversa entre o Cenoura e o Afonso nas páginas 430/434?Que interpretação retiras do que diz o Afonso?
Eu acho que o Afonso é uma alma idealista que nunca deixou que a sua veia solidária e de justiça fosse consumida pela Guerra e pela dureza da vida militar. Neste sentido, penso que a conversa com o Cenoura advém da sua percepção da guerra e do seu papel nela. É claro que isto é tudo muito bonito nas palavras, porque quando Afonso se vê na linha da frente quase que inconscientemente agradece o facto de ser Capitão. Mas ela continua a ser bondoso e com um enorme sentido de justiça. Preocupa-se genuinamente com os outros e isso viu-se na forma como ele se comportou no raide.

3. Tendo em conta que os soldados portugueses não tiveram direito a períodos de descanso e comparado com os outros, vivem realmente nas piores condições, será isto sinal de mau agouro?
Sim... A desorganização que se vive nas trincheiras portuguesas e a inexperiência das tropas não irá ajudar no momento em que os alemães decidirem atacar os portugueses eles vão sentir dificuldades.

Maratona Viagens (In)Esperadas | Bingo Literário de Verão - Dia 4 e 5

25.07.14
Maratonas | Viagens (In)Esperadas



Bingo Summer Recommendations # 4 - Livro da nossa infância/ adolescência

Sugestão da Catarina: Hoje como recomendação escolho a colecção Aventura da Enid Blyton. A maioria das pessoas que conheço associa o nome "aventura" à colecção de livros das autoras portuguesas Isabel Alçada e Ana Maria Magalhães mas eu sempre preferi a versão antiga da Enid Blyton. Aventura de Enid Blyton conta as aventuras de João. Filipe, Dina, Maria da Luz e da Catatua Didi. Lembram muito os livros dos Cinco mas com um ênfase maior nos destinos das aventuras.Recomendo a quem ainda goste de ler livros juvenis com muita aventura e mistério, apesar de certos aspectos já estarem, provavelmente, um pouco datados.


Sugestão da Silvana: Lua de Joana de Maria Teresa Maia Gonzalez Sempre que recuo ao início da minha adolescência, o livro que salta logo no meu pensamento é este. Foi a minha primeira leitura compulsiva. Li-o muito depressa para aquela idade e fez-me ficar presa à história e às personagens. Depois ao longo da adolescência ainda o reli mais umas duas vezes. Hoje em dia, não consigo reler o livro por completo, mas por vezes gosto de pegar no livro, abrir numa página à sorte e ler a carta que aí está.... Traz-me boas memórias.

Book Weekend Shot#1 - Anuncio do tema

Assim, durante o próximo fim de semana convidamos-vos a tirarem uma foto à vossa leitura do momento tendo por base o tema ÁGUA. Podem tirar uma foto do livro que estão a ler junto ao mar, a um rio, etc...Sejam originais!
Relembramos que só aceitamos fotos que sejam publicadas nos dias 26 e 27.


Reading pause #2: Para algumas pessoas Verão é sinal de roadtrip. Que tal fazermos uma roadtrip literária? Escolhe 4 países que gostarias de visitar no Verão e um autor de cada um desses países que te desperte a curiosidade.

Inglaterra - Jane Austen
Eu tenho uma enorme vontade de conhecer Londres e algumas zonas de Inglaterra... O engraçado foi que só me comecei a interessar por este país bem depois dos 18 anos... Eu tive um problema com o inglês ao longo do meu percurso escolar. Como na minha altura era possível escolher eu nunca tive inglês por minha vontade, foi sempre por imposições externas. Hoje agradeço a essas imposições. Aprendi a gostar de inglês e a querer saber mais sobre este país. Tenho mais facilidade com o inglês técnico, porém o meu próximo passo será tentar a literatura e começar a ler em inglês. Tenho a certeza que só me vai fazer bem. 
Jane Austen é uma autora que ando há muito tempo para ler. Vai ser para breve que irei pegar no livro "Orgulho e preconceito".

Rússia - Fiódor Dostoievski
A Rússia é daqueles países que me desperta um tipo de curiosidade que eu não vos consigo explicar. 
Em relação ao autor, é mais um clássico que quero descobrir e ler.

Suécia - Camilla Läckberg
Eu tenho um enorme fascínio pelos países nórdicos. Adoraria assistir ao sol da meia noite e absorver tudo aquilo que eles têm para oferecer. De entre todos escolhi a Suécia porque muitas vezes me perco a "viajar" pelas imagens do google da cidade de Estocolmo. Aquilo é lindo!!!
Camilla Läckberg é uma autora de polícias que eu já tive a felicidade de descobrir, mas só li dois livros que me deixaram extremamente curiosa para os livros seguintes.

EUA - John Green
Este país entra-nos pela casa adentro de todas as formas possíveis e imaginárias. Somos consumidores de música americana, livros, entre outras coisas. Devido a este contacto é normal que a curiosidade em relação ao país surge. Quem é que ao ler um livro com as descrições de Nova Iorque, Carolina do Norte, entre outras localidades, não ficou com vontade de saltar directamente para esse lugar? Eu fico sempre com imensa vontade.
Em relação ao autor tenho lido opiniões muito positivas em relação aos livros dele. É claro que tenho um particular interesse pelo livro "A culpa é das estrelas".

E vocês? Por que países querem viajar e em páginas se querem perder?

Pág. 1/5