Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Balanço | A palavra-chave

A palavra-chave

Palavra chave.jpg

Optei por apostar neste desafio mais amplo com o objetivo de, pelo menos, chegar ao final do ano com um desafio totalmente concluído. 

O objetivo deste desafio era ler um livro que se relacionasse com alguma das palavras-chave. Poderia ser pela capa, pela história ou pelo escritor.

Infelizmente isso não aconteceu, mas foi apenas uma categoria. Não consegui ler nada para as palavras-chave do mês de abril. Apesar de não o ter concluído, sinto-me orgulhosa pelo meu desempenho. 

Ficam aqui as leituras realizadas.

Janeiro: Holocausto; Guerra; Paz; Injustiça
A maldição do marquês, Tiago Rebelo

Fevereiro: Amor; Diversão; Adição
Fica comigo, Noellia Amarillo

Março: Poesia; Verde; Mulher
A grande solidão, Kristin Hannah

Abril: Liberdade; Minorias; Censura

Maio: Flores; Nacional; Europa
Traz-me de volta, B. A. Paris

Junho: Sonho; Popular; Criança
Olá, Sapo!, Gabrielle Clima

Julho: Calor; Realeza; Paz
Pessoas altamente sensíveis, Elaine Aron

Agosto: Férias; Mar; Sol
Pessoas normais, Sally Ronney

Setembro: Escola; Recomeçar; Silêncio
Conduz o teu arado sobre os ossos dos mortos, Olga Tokarczuk

Outubro: Crime; Magia; Saúde Mental
Romance de verão, Emily Henry

Novembro: Medo; Noite; Violência
Sopro do mal, Donato Carrisi

Dezembro: Oriente; Natal; Frio
O que seria eu sem ti?, Guillaume Musso

Feliz Natal

Untitled Design.jpeg

Que o Natal possa ser sempre um tempo de paz, amor, serenidade e aconchego. Que a luz do Natal brilhe de forma intensa nos nossos corações e ilumine os caminhos que daremos ao longo da nossa vida. 

Esta mensagem de Natal é para ti, que gastas um pouco do teu tempo para ler as minhas partilhas e interagir comigo.

Esta mensagem é, também, para todos aqueles e aqueles que, de alguma forma se sentem desamparados ou sentem o Natal como uma época difícil por múltiplas razões. Que as palavras levem um pouco de luz e de amparo para quem o Natal é difícil

Feliz Natal!! 

Opinião | "Trincas o monstro dos livros" de Emma Yarlett

Untitled design (40).jpg

Trincas o monstro dos livros foi a minha escolha para presente de Natal da minha leitora em construção. Só hoje à noite é que o irá descobrir, por isso não te consigo dizer como é a experiência de leitura com a minha pequena leitora. 

Porque é que escolhi este livro? Como a A. é uma criança que adora histórias achei que o livro poderia aproximar-se da realidade dela. Além disso, ela anda numa fase em que acha que as personagens das histórias andam por aí atrás de nós. Infelizmente, anda um pouco assustada com o Lobo Mau do Capuchinho Vermelho e dos três porquinhos. Bem, mas como o Lobo é mau e assusta os porquinhos e Capuchinho ele fica de castigo sempre dentro da história, não sai cá para fora. Esta foi a justificação que eu arranjei para serenar a sua imaginação hiperativa. 

O Trincas também não sossega. Salta de história em história e quer devorar tudo. Achei a história muito dinâmica e engraçada. O paralelismo com outras histórias está muito bem enquadrado e acho que pode ser giro para a criança descobrir personagens que já conhece aqui nesta história. 

As ilustrações são lindíssimas e acompanham muito bem o texto que vai surgindo nas páginas. 

Da minha parte, espero só ter acertado no presente. A minha A. pediu um livro ao Pai Natal e sou aquela que lhe gosta sempre de alimentar estes pedidos. Não quero que lhe faltem livros e histórias para sonhar. 

Classificação

Opinião | "Sopro do mal" de Donato Carrisi (Mila Vasquez #1)

Untitled design (39).jpg

Este livro foi parar à minha lista de interesses devido a uma sugestão de um leitora aqui do meu espaço. Vi que ele estava disponível na biblioteca e achei que estava na altura de descobrir o quão viciante poderia ser este livro.

Sopro do mal correspondeu às expetativas. Um história angustiante e macabra que se vai adensando com o avançar do livro. A história é extremamente complexa. Há seis braços encontrados que correspondem a seis raparigas diferentes que é preciso identificar e descobrir onde estão os corpos a que correspondem os respetivos braços. Todas histórias que se vão desenhando em torno destas raparigas e a forma como tudo foi interligado, demonstra o facto desta história ter sido construída com grande inteligência. 

Apesar de ter gostado muito da história e da forma como tudo foi construído, considero que, por vezes, a complexidade foi demasiado elaborada e tornava-se confusa. E nesta confusão destaco o final estranho que foi dado ao livro. Não sei se me perdi na leitura e nas conexões entre os acontecimentos, mas alguns acontecimentos do final deixaram em mim um enorme rasto de estranheza. 

Gostei muito da Mila e acredito que em livro seguintes a vida dela seja mais esmiuçada. Uma mulher complexa, com uma dimensão psicológica muito bem desenhada e que me deixou muito curiosa em relação ao seu mundo interior, à forma como constrói relações humanas e em descobrir como irá desenhar a sua vida após os acontecimentos das últimas páginas do livro.

Fiquei com curiosidade em descobrir mais obras do escritor, porém a minha pesquisa rápida mostrou que não existem mais livros deste escritor traduzidos para português. Na minha opinião, acho que as editoras deveriam apostar na publicação de mais obras do Donato Carrisi.

Classificação


 

Opinião | "A música das abelhas" de Eileen Garvin

Untitled design (37).jpg

A música das abelhas foi uma boa descoberta. Não me cruzei com nenhuma opinião a este livro dentro da comunidade literária, por isso parti para a leitura sem qualquer referência. O que é que me motivou a pegar neste livro? As abelhas! Por motivos profissionais, precisava de saber mais sobre a vida das abelhas e por isso é que me aventurei nesta leitura.

Fiquei a saber pouco sobre abelhas. O livro não têm assim muita informação sobre o estilo de vida das abelhas ou da sua organização enquanto comunidade de ser vivos. No entanto, consegui reunir algumas curiosidades importantes e assistir ao processo de cura que só os animais têm o dom de proporcionar. 

A narrativa do livro é centrada no drama. Alice Holtzman é uma mulher a lidar com o seu processo de luto. Um percurso complexo, que lhe deixou marcas emocionais profundas. A saúde mental desta mulher esta fragilizada, mas fiquei impressionada com a sua resiliência e com a sua capacidade de não deixar que os seus problemas causem mais problemas aos outros. Gostei muito da Alice e do seu mundo interior. Uma mulher que vive de silêncios e de momentos introspetivos. Uma mulher que aprecia o seu espaço e que gosta da sua companhia. Adora a natureza e liga-se a ela de uma forma muito particular. As abelhas representam o seu oxigénio e parecem ser elas o fator motivador para se lançar a mudanças significativas na sua vida. 

E neste seu percurso de cura, vai conseguir ser inspiração e processo de cura para outros. Jake e Harry são mais duas personagens que a história dá a conhecer. Dois percursos de vida marcados pela incompreensão e pela infelicidade. Alice e as suas abelhas irão possibilitar-lhes uma mudança de vida, um crescimento pessoal e uma evolução que convidam à reflexão do leitor. Afinal, qual o nosso papel na vida dos outros? Somos facilitadores ou dificultadores dos processos de desenvolvimento? Incentivamos à cura ou contribuímos para a fragilidade emocional ou mental de quem se rodeia de nós? Qual o impacto das nossas ações na vida dos outros?

Não é um livro perfeito. Há partes mais lentas que parecem atrasar a história. No fundo, senti falta de algum dinamismo no início do livro. No final, como o livrou ganhou contornos políticos e ambientais, a narrativa passou a ter um ritmo mais intenso e mais envolvente. Porém, acabou por terminar de forma abrupta e ofereceu um final aberto. Algumas coisas não foram finalizadas e ficaram para a imaginação do leitor.

Destaco a forma como a doença mental é abordada neste livro. Através de diferentes ângulos e situações, a fragilidade psicológica é nos mostrada de uma forma muito realista e educativa. Porém, poderá ser um gatilho para pessoas que estejam a lidar com situações de luto, seja ele por perda de uma pessoa ou perda de algo com influência na sua vida; com situações de ansiedade; ou com situações de indefinição relativamente ao futuro pessoal e profissional.  

A música das abelhas oferece uma leitura comovente, onde as relações positivas se mostram como um fator de proteção perante situações difíceis que as pessoas têm de ultrapassar. Um livro que foi uma agradável surpresa.

Classificação

 

Opinião | "Romance de verão" de Emily Henry

Untitled design (36).jpg

Parti para a leitura de Romance de verão com expetativas muito reduzidas. A Daniela teve a amabilidade de me emprestar o livro, mas partilhou comigo a sua desilusão com a história. Dado que o livro a tinha desiludido, eu comecei a ler sem esperar uma leitura grandiosa. 

Apesar de eu e a Daniela concordarmos em muitas coisas, nomeadamente em gostos literários, este livro representou uma experiência de leitura totalmente diferente para cada uma nós. É aqui que reside a magia dos livros e a importância de sermos nós a descobrir se um livro funciona ou não connosco. No fundo, a opinião dos outros poderá ser um guia, mas nunca nos deverá impedir de ler um livro caso ele nos tenha despertado o interesse.

Romance de verão apresenta uma história com aspetos densos e emocionalmente pesados, contados com a leveza que só o toque especial do humor consegue oferecer. January, uma otimista por natureza, assiste de forma impotente ao desmoronar da sua vida. Pessoalmente, vive mudanças que desequilibram o seu lado criativo. Esta falta de criatividade não é a melhor circunstância para uma escritora que precisa de entregar um livro à editora. Por outro lado há o Gus, outro escritor a atravessar um período menos colorido na sua vida. Há um passado entre estas duas pessoas, mas é no presente que é possível assistir a mudanças, reflexões e evoluções. 

January e Gus têm um dinâmica engraçada, onde as falhas de comunicação acabam por determinar o envolvimento passado e a forma como tudo se desenrola no presente. Foi interessante a forma como a história me levou a refletir sobre a comunicação, a importância da mesma para as relações e a interpretação que cada pessoa faz dos sinais que recebe. No fundo, nem sempre o recetor da mensagem interpreta da forma que pretendemos os sinais que lhe enviamos. January e Gus têm um pouco disto, estes desencontros comunicacionais que os afastaram no passado e condicional o comportamento presente.

O tom divertido e os momentos de humor ofereceram-me a leitura que eu precisava naquele momento. Um drama com final feliz, pontuado de momentos intensos e divertidos.

Fiquei com vontade de experimentar mais livros desta escritora.

Já leste mais algum? Quais as tuas impressões acerca dos livros desta escritora?

Classificação

Opinião | "Salva por um escocês" de Sarah MacLean (Scandal & Scoundrel #2)

Untitled design (35).jpg

Gosto de pegar num romance de época quando preciso de descontrair ou ler algo que me desanuvie o espírito. Sarah MacLean é uma escritora que, dentro do género, me consegue sempre oferecer aquilo que eu espero deste género de livros. 

Lily é uma jovem inocente que acredita nas primeiras palavras de amor que lhe dirigem. A sua alma solitária encanta-se por essas palavras e acaba por pousar nua para uma pintura e a sua reputação perante a alta sociedade fica comprometida. O seu tutor, perante esta situação, decide sair do seu lugar de conforto para salvar tentar salvar a sua protegida.

É partir daqui que o leitor se cruza com avanços e recuos nesta relação que se vai construindo. Há alguns momentos divertidos, porém considero que este lado humorístico foi mais desenvolvido noutros livros da escritora.

Como é esperado deste tipo de livros, o final feliz é garantido. Por isso, foi uma leitura que permitiu descontrair, que me ofereceu energias positivas que só um final feliz o consegue fazer e possibilitou-me alguns momentos divertidos que possibilitaram aligeirar a minha mente.

Assim, posso concluir que encontrei neste livro aquilo que eu procurava. Contudo, considero que já li livros mais divertidos desta escritora e com maior capacidade para me surpreender. 

Classificação
 

Novembro | Quem chegou?

Novembro foi um mês muito calmo no que respeita a movimentações literárias. Chegou cá a casa apenas um livro. Esta nova entrada na estante resultou de uma troca que fiz. Recebi o livro "Palavras nas paredes" de Julia Walton. Espero gostar desta leitura.

Troca

56697393._SY475_.jpg

Opinião | "Posso espreitar a tua fralda?" e "Posso espreitar o teu bacio?" de Guido Van Genechten

A minha pequena leitora em construção vibrou com estes livros. Aproximando-se a fase de iniciar o desfralde, achei que estes livros poderiam ser um bom incentivo. Ainda não desfraldou, mas já sabe que tem a fralda limpa e vai ao bacio: o Ratinho. 

De uma forma muito dinâmica e com ilustrações maravilhosas as histórias levam a criança a observar a fralda e o bacio de diferentes animais.
No caso do Posso espreitar a tua fralda?, a fralda é uma aba que a criança pode abrir e ver o que esconde a fralda de cada animal. Sempre de uma forma respeitosa, já que o Ratinho pede autorização para espreitar a sua fralda, e no fim dá autorização para espreitar a sua.

No livro Posso espreitar o teu bacio?, a dinâmica é a mesma. É possível abrir uma aba que permite à criança ver o bacio de diferentes animais. 

Dando a entoação certa e deixando a criança explorar o livro e mexer nas abas, o interesse é garantido. Pelo meio da leitura, ainda aproveitamos para treinar a contagem, fazer a identificação de animais e explorar as cores de cada animal. 

Ler para uma criança não é só juntar as palavras e passa-lhe a mensagem. É deixá-la descobrir a magia das ilustrações, responder a perguntas que ela vai fazendo porque vê alguma coisa interessante ou porque fica curiosa. 

Do mesmo autor, já foi publicado A orquestra do bacio, um livro que tem estado esgotado nas livrarias online. Acredito que também poderá ser uma boa introdução do desfralde na realidade da criança. 

Classificação

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub