Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Por detrás das palavras

Por detrás das palavras

28
Mar14

[Opinião] O Filho das Sombras (Sevenwaters #2)


O Filho das Sombras (Trilogia de Sevenwaters, #2)

Autor: Juliet Marillier
Ano: 2002
Editora: Bertrand
Número de páginas: 462 páginas
Classificação: 5 Estrelas

Sinopse
As florestas de Sevenwaters lançaram o seu feitiço sobre Liadan, a filha de Sorcha, que herdou os talentos da mãe para curar e penetrar no mundo espiritual. Os espíritos da floresta avisam-na de que, para que as ilhas sagradas sejam reconquistadas aos Bretões, Liadan deverá permanecer em Sevenwaters.
A Irlanda está agora em guerra, e as suas costas são assoladas por atacantes. Entre os inimigos há um que se destaca: o Homem Pintado, que granjeou uma reputação terrível de mercenário feroz e astuto, e que espalha o terror por onde quer que passe.
Ao regressar a casa, Liadan é capturada pelo Homem Pintado. Porém, este acaba por se revelar bem diferente da lenda, e apesar da antiga profecia que a obrigava a permanecer em Sevenwaters, a jovem sente-se atraída por ele. Mas poderá ela viver o seu amor sem que a maldição recaia sobre Sevenwaters?

Opinião
Parti para a leitura deste livro com grandes expectativas. Após a leitura d' A Filha da Floresta estava muito curiosa por saber qual o rumo daquelas personagens tão encantadoras. 

Em comparação com o primeiro livro da série, este encantou-me logo desde o início. A narrativa evolui de uma forma mais dinâmica, criando, desde cedo, pontos de ruptura que ajudam a manter a curiosidade aguçada. O que eu não esperava era um salto temporal tão grande do primeiro para este segundo volume. E, dadas as características em que este terminou espero que o terceiro volume não seja narrado passado muito tempo desde segundo volume. 

A narradora d' O Filho das Sombras É Liadam, filha de Sorcha. Logo na forma como as coisas são narradas que sobressai uma enorme parecença entre mãe e filha. Liadam herdou tudo aquilo que a sua mãe tem de bom, algo que foi completado com um espírito, uma determinação e uma capacidade de olhar e interferir com o mundo ainda mais notórias do que em Sorcha.

Niamh e Sean são os irmão de Liadam, sendo que Sean é seu irmão gémeo. Entre eles estabelece-se uma relação muito especial. Sean e Liadam patilham uma relação em muito semelhante à que Sorcha partilhava com Finbar mas, segundo a minha interpretação, menos especial e profunda.

A forma como julgaram Niamh devido a um determinado acontecimento não fez muito sentido para mim. O pai, o irmão e o seu tio Liam tomaram uma decisão que não vai de encontro à personalidade à personalidade de cada um deles, com a excepção de Liam que é capaz desta e mesmo de piores decisões. Liam tomou uma decisão de acordo com aquilo a que já estamos habituados a ver nele, mas Red (o pai) não. O que ainda agravou a minha confusão foi a forma mais branda com que trataram Liadam. Sei que, apesar de o acontecimento ter sido semelhante, implicava coisas diferentes, mas acho que foram mais radicais com Niamh e demasiado benevolentes com Liadam. É claro que com o avançar da leitura fui compreendendo estas atitudes, mas continuaram a fazer-me alguma "comichão cerebral".

Brian e Cairan são duas personagens muito importantes para toda a histórias. Cada um deles com um passado que não é indiferente às outras personagens. Para mim, foi fácil descobrir as fantasmas que habitavam os seus passados, mas fiquei surpreendida com alguns aspectos, principalmente no que toca a Brian, o Homem Pintado.

[INÍCIO SPOILER LIVRO ANTERIOR]
Uma das coisas que mais gostei no livro foi de ler sobre Sorcha e Red. O amor reciproco que os une é muito bom de ler. Eles mantêm uma relação muito bonita e a forma como cada um cuida do outro é fantástica e deliciosa. Só fiquei com pena de não ter acesso a mais informação e a mais momentos entre os dois.
[FIM SPOILER LIVRO ANTERIOR]

Ao longo do livro somos, tal como no anterior, presenteados com histórias paralelas contadas pelos personagens. Gostei muito das histórias, assim como do facto de elas serem metáforas daquilo que pode acontecer no livro. Só fiquei sem perceber o que é que aconteceu ao Corvo Fiacha! Estava tão focada nos acontecimentos das outras personagens e na forma como aquilo iria terminar que este aspecto me passou ao lado.

Em conclusão posso dizer que fiquei completamente fascinada pela série. O facto de ser fantasia não me deixou desgostar do livro e da narrativa cativante que se vai tecendo muito para além dos aspectos mais fantasiosos. Gostei muito das lendas, mitos e profecias que aparecem quer no primeiro quer no segundo livro. Espero, em breve, ler o último volume! Talvez este seja o género de fantasia que preenche as minhas medidas literárias.

Boas leituras e deixem-se invadir pelas palavras.

8 comentários

Comentar post