Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Por detrás das palavras

18
Jul14

[Opinião] Amor à primeira vista (Kendrick/Coulter/Harrigan #2)


Amor à Primeira Vista

Autor: Catherine Anderson
Ano: 2008
Editora: Ulisseia
Número de páginas: 343 páginas
Classificação: 5 Estrelas

Sinopse
Poucos autores escrevem histórias tão comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson. As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira. 
Todas as leitoras que acompanharam Rafe Kendrik e Maggie Stanley em Uma Luz na Escuridão podem agora revê-los numa nova e apaixonante aventura protagonizada por Ryan, irmão de Rafe a quem este terá de ajudar a ultrapassar um momento difícil. Um acidente sofrido há anos num rodeo deixou Bethany Coulter presa a uma cadeira de rodas. Desde então conheceu tanto as traições como os desgostos de amor, e por isso jurou nunca mais entregar o seu coração a um homem. Mas qualquer coisa em Ryan. Kendrick a fez de súbito acreditar que talvez todos esses obstáculos pudessem ser ultrapassados. Ambos partilham a paixão pelos cavalos e têm um imenso sentido de humor. Mas a vida não é absolutamente perfeita.

Opinião
Foi este ano que tomei contacto com os livros de Catherine Anderson e rendi-me ao modo encantador que ela tem para nos contar uma história. Apesar de ter adorado o primeiro livro, parti para esta leitura do segundo livro um pouco apreensiva porque vi que o romance desta história iria acontecer de forma fulminante e é algo ao qual não acho muita piada. Outro aspecto que me deixou igualmente de pé atrás era o facto de Bethany, a personagem principal feminina, estar numa cadeira de rodas. Estava com medo que a autora tratasse do assunto de uma forma cliché e pouco sensível. Mas não aconteceu nada disso, muito pelo contrário, o que se traduziu numa leitura fantástica.

Catherine Anderson tem o dom de conjugar um bonito e emotivo romance, aventuras emocionantes e um humor capaz de nos arrancar umas boas gargalhadas quando menos esperamos. É claro que os protagonistas das cenas cómicas são os elementos da família Kendrick. Se no primeiro livro já me tinha divertido imenso com o Rafe (livro Uma luz na escuridão), neste o Ryan não se deixou ficar atrás do irmão.
Além do forte sentido de humor, Ryan ainda consegue ser um homem muito sensível que dá vontade de saltar para o livro só para receber um abraço dele. Assim que coloca os olhos na Bethany é como se um luz brilhante lhe encandeasse o coração. Apesar das suas limitações, Bethany é uma mulher cheia de garra que partilha muitos dos seus gostos com Ryan. E de todos estes pontos de partilha, a paixão pelos animais, e em especial pelos cavalos, vão conduzi-los por experiências encantadoras.

Diverti-me imenso com esta leitura. Consegue reunir tudo aquilo que eu gosto num livro e me faz perder nele quanto tempo me é possível. É uma leitura leve e divertida sem nunca deixar de lado os assuntos mais sérios, como é o caso do problema de Bethany (é paraplégica) e das implicações no seu dia-a-dia.
22
Mar14

[Opinião] Uma luz na escuridão (Kendrick/Coulter/Harrigan #1)


Uma Luz na Escuridão

Autor: Catherine Anderson
Ano: 2008
Editora: Ulisseia
Número de páginas: 350 páginas
Classificação: 5 Estrelas

Sinopse
Poucos autores escrevem histórias comoventes e de inesgotável ternura como Catherine Anderson. As suas personagens partilham com o leitor a esperança de encontrar o amor perfeito de uma vida inteira.No intuito de por a salvo a sua vida e a do seu bebé, das mãos de um padrasto violento Maggie Stanley, arrisca tudo numa fuga desesperada passando de um perigo para outro ainda maior. Desde a trágica morte da mulher e dos filhos, Rafe tornou-se num pobre vagabundo que lentamente afoga as suas mágoas no álcool. Assim que conhece Maggie, Rafe pressente que vão envolver-se em problemas. E quando Maggie é subitamente atacada por um grupo de vagabundos, Rafe, por compaixão, decide salvar a jovem mãe e o seu filho. Maggie está simultaneamente grata e preocupada com o seu novo protector. Na extrema solidão, na fase mais sombria que jamais viveu, a compaixão de um desconhecido, muito atraente mas pobre como ela, surge como uma luz na escuridão e proporciona-lhe o conforto e o carinho que sempre desejou e nunca teve. Rafe é bem mais do que aquilo que parece. É um homem enigmático e secreto, que poderia dar a Maggie o céu e a terra, não fora a circunstância de ter jurado a si próprio viver sozinho o resto da sua vida.Para sua surpresa, também Rafe descobre que pela primeira vez, desde há muito tempo, alguém necessita da sua ajuda e está determinado em não os desapontar. É que às vezes o amor surge sem aviso prévio e transforma o mundo mais frio e desapiedado num verdadeiro paraíso. E um homem a quem quase tudo foi roubado, uma mulher que perdeu até mesmo a capacidade de sonhar, e a criança desprotegida que de ambos necessita, podem tornar-se a mais improvável e a mais fabulosa das criações: uma família.

Opinião
Há momentos do nosso passado que nos assombram de uma forma inexplicável. E as emoções negativas que esses fantasmas do passado nos provocam ficam enraizadas no coração, até que uma luz entre em nós e ilumine a alma. Maggie estava terrivelmente assombrada, mas Rafe tornou-se a sua luz. Não foi fácil iluminar o espírito de Maggie, mas também foi essa dificuldade que tornou a persistência e dedicação de Rafe mais especial para mim enquanto leitora. 

Podemos considerar que um dos temas que serve de pano de fundo a toda a história é bastante pesado, mas a forma como a autora o desenvolveu não aborrece o leitor, pelo contrário conduz-lo por uma viagem literária fantástica, apelando aos sentidos e às emoções.
A autora faz-nos querer saltar para o livro para conhecer Maggie, Rafe e todas as outras personagens secundárias que dão corpo à história. São personagens apaixonantes e muito divertidas. Ri imenso com as intervenções de Rafe, com a forma como ele lidava com o seu irmão e com a sua restante família. Suspirei como a forma terna que ele usava nos cuidados de Jamie, filho de Maggie, e com a própria Maggie. Rafe é uma personagem que representa a superação da dor, uma superação que por vezes nos leva por caminhos mais tenebrosos antes de nos reconciliarmos connosco próprios. É um homem integro, leal, divertido, que não deixa os leitores indiferentes. Maggie é uma personagem extremamente bem construída tendo em conta todo o seu passado. A autora consegue dar-lhe uma profundidade sentimental enorme, uma rigidez de pensamento e um nível de desconfiança muito característicos das pessoas que têm essas vivências. Ao mesmo tempo que sentimos uma empatia profunda por Maggie, admiramos o modo corajoso como ela enfrentou cada barreira que se impunha no seu caminho.

Adorei o livro e apesar de estar à espera de um final dentro daquilo que aconteceu, não me senti desiludida. Isto talvez se deve ao facto da forma cativante e cheia de suspense com que a autora pautou esses momentos finais.