Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Por detrás das palavras

27
Abr20

Leitura conjunta | Livro "Os pássaros" de Célia Correia Loureiro

A new baby is coming.jpg

Já tinha saudades de dinamizar uma leitura conjunta. Já fiz bastantes, assim como já dinamizei muitas maratonas. Os anos vão passando, o mundo vai-se atravessando nas ruelas da vida e outras coisas vão ganhando prioridade. 

Assim que saiu o livro da Célia, achei que tinha aqui um bom motivo para voar por estas andanças.  Está na altura de voltar a dinamizar uma leitura conjunta.

A leitura tem início dia 1 de Maio e terá 4 etapas e 4 momentos de discussão, como podem ver na calendário em baixo.

maio 2020.jpg

Quem se quiser juntar a mim é só fazer um pedido para aderia a este grupo https://www.facebook.com/groups/2224432297883922/about.

Boas leituras!

13
Jan16

Opinião | "A trança de Inês" de Rosa Lobato de Faria

A Trança de Inês
Classificação: 3 estrelas

A trança de Inês foi o segundo livro que li de Rosa Lobato de Faria. Eu gostei muito do primeiro livro que li. Adorei a escrita e a história que nos foi oferecida. Desde essa altura que fiquei com vontade de ler mais obras desta autora portuguesa. 

Em comparação com o livro anterior, não gostei tanto deste. Continuei a gostar da escrita da autora, mas a história foi confusa para mim. 
A trança de Inês  traz-nos a história de um Pedro e de uma Inês do passado (que tem como base o romance histórico de Pedro e de Inês), do presente (finais de séc. XX) e do futuro (séc. XXII). Este entrelaçar de épocas baralhou-me as ideias e foi difícil perceber e entender tudo. Em alguns momentos senti-me perdida no tempo. Apesar desta minha dificuldade reconheço que é um ponto de originalidade no livro. 

Foram duas as interpretações que tirei deste entrelaçar de épocas. Se por um lado, pareceu-me que Pedro e Inês estavam em sucessivas reencarnações. Por outro, pensei que o Pedro do presente foi invadido com algum tipo de loucura proveniente de um desgosto de amor com  a sua Inês e que o levava a ter alucinações com um passado e um presente onde uma história de amor entre um Pedro e uma Inês se entrelaçava com o seu desgosto. 

Apesar de não ter sido uma leitura fácil, de me sentir confusa e de me ter sido difícil encontrar no meio de tantas viagens no tempo, continuo a admirar o estilo de escrita de Rosa Lobato de Faria e recomendo a sua leitura. Espero, em breve, conseguir ler mais alguma obra desta escritora para conseguir definir mais claramente a minha relação com os livros desta escritora.
26
Jan15

Opinião | A Sombra de um Passado


A Sombra de um Passado



Autora: Carina Rosa
Ano: 2014
Número de páginas: 312 páginas
Classificação: 5 Estrelas
Sinopse: Aqui





Opinião
Apesar deste livro ter sido o terceiro livro publicado pela Carina, foi o primeiro livro que li da autora. Foi uma experiência como leitora-beta que me trouxe coisas muito boas. E da qual poderia dizer tanto e ao mesmo tempo não conseguir transmitir nada. Porque há coisas que não se explicam, sentem-se apenas...

Já li o livro várias vezes, porém quis ler novamente antes de deixar a minha opinião formal aqui no blog e no goodreads.
Antes de chegar à publicação, o livro passou por algumas mudanças, mas desde a primeira leitura que me deixei encantar pela história de Clara, Hugo e Santiago. Cada um deles apresenta uma personalidade muito distinta, mas credível aos olhos do leitor. Nenhum deles é o bom, ou o mau da fita, porque cada um deles tem os seus momentos, sejam eles melhores ou piores aos olhos de quem os passa a conhecer através do livro. Porque é que eu gostei tanto destas personagens? Porque é fácil olharmos para o mundo real e cruzarmo-nos com elas. 

Este livro apresenta-nos a história de Clara, uma jovem que vive com o seu coração apertado por um passado mal resolvido. Hugo faz parte desse passado! Um homem a quem ela deu tudo o que tinha e de quem sempre esperou aquilo que ele não lhe soube dar. Considero Hugo um personagem intrigante e que, apesar de tudo o que ele vai fazendo não me provocou sentimentos maus, ou qualquer tipo de ódio. É apenas alguém a quem a vida não correu bem e que foi tentando (sobre)viver ao mundo que lhe apontava o dedo, ao mundo que ele própria não compreendia, porque a única pessoa que o poderia ajudar a compreender era Clara, mas a quem ele tinha medo de mostrar o sentimentos... Ou talvez não os soubesse mesmo demonstrar. 

Clara conseguiu provocar-me sentimentos mistos. Nem sempre gostei dela, mas nunca a cheguei a odiar. Tentei compreendê-la à luz daquilo pelo qual tinha passado. Os momentos em que me deixava mais irritada eram quando se mostrava algo exigente e insensível para com o marido, que sempre fez tudo por ela. É certo que Santiago pode ser apelidado de "nice boy", um tipo de homem que por vezes não dá desafio numa relação, mas depois de ter passado por tudo o que passou, Clara era muito ingrata para com alguém que a tratava tão bem. Mas Santiago não é bem o "nice boy" que ela pensava ter em casa. Quando precisa de ir à luta e soltar a fera que há dentro dele, não há ninguém que o pare. Até aos momentos mais decisivos o que faltou a Santiago foi autoconfiança e assertividade. Não conseguiu demonstrar muito bem a sua posição perante Clara. Ele sempre respondia às exigências dela, mas ele nunca exigia muito. 

Relativamente à escrita da Carina, convenhamos que já não é novidade para mim. Nota-se uma boa evolução ao longo dos livros. E esta evolução é também papável ao nível da construção da narrativa e das personagens. 
Neste livro a Carina continua a usar bastante as analepses, as conversas interiores das personagens e os pensamentos das personagens. Para quem não é fã, isto pode aborrecer um pouco a leitura. Eu não desgosto e percebo a intenção dela. E no fundo é um pouco a aproximação ao mundo real. Eu pelo menos passo muito tempo a conversar comigo própria e a esmiuçar os meus pensamentos... Acho que partilho este aspecto de personalidade com a Carina. Como ela olha para isto como algo normal do seu quotidiana acaba por o transportar para as suas histórias. 

Desde o início que fiquei apaixonada por esta leitura e por esta história, por isso recomendo a leitura todos aqueles que gostem de ler sobre o amor, o perdão, os acertos com o passado e um novo recomeço de vida. Recomendo a todos aqueles que gostam de um final doce e com um toque de romantismo enternecedor. Recomendo a todos aqueles que não desistem de dar uma oportunidade a jovens autores portugueses.

Este foi o primeiro livro lido para o desafio criado por mim e pela Marta, Português no feminino.
Para finalizar este mês, ainda será publicada uma entrevista da autora.
22
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Questões parte 5


E mais uma leitura conjunta chegou ao fim. Tal como todas as outras foi um enorme gosto fazer isto com a Marta. 
Aqui ficam as perguntas e as respostas à última parte lida. 

1. No momento da verdade entre a Clara e o Santiago, achas que ela mereceu ouvir aquelas palavras da bocado do marido, tendo em conta o que tinha acabo de lhe acontecer.
Não sei se as merecia ou não... Talvez o Santiago devesse ter sido mais duro com ela, encostá-la mais à parede e só depois deixar que o amor que sentia pela esposa falasse por si. Mas, Santiago é um homem sensível e, independentemente de ela o merecer ou não ele iria sempre dizer-lhe aquilo e, se tivesse oportunidade, ainda lhe iria dizer mais. Também penso que todas aquelas palavras a deixaram a pensar na vida. 

2. Como avalias a defesa da Clara ao Hugo?
Avalio como normal, tendo em conta que apesar de tudo, Hugo ainda era alguém que significava alguma coisa para ela. Clara sente-se em dívida para com ele, apesar do muito mal que ele lhe fez. Porém sempre acreditou que ele poderia mudar, e que dentro daquela carcaça má, cheia de rancores e que desconhecia os sentimentos bons morava um coração preso que precisa de se libertar pelos próprios meios. No fundo, Clara que Hugo tivesse mais oportunidades na vida.  

3. Foi um final do teu agrado?
Sim, foi. Aquele final enche o coração de qualquer alma sonhadora e romântica. Penso que foi um final justo para todas as personagens. Nenhuma delas era perfeita, tinham as suas imperfeições e aprenderam a lidar com elas da melhor forma que lhe foi possível. Foi um final muito bonito!!

4. Para ti quais foram os momento chaves deste livro?
Para mim os momentos chave foram: o momento em que Clara foge com Hugo, aqui há uma mudança na vida da Clara que a vai ajudar a crescer; o momento em que Clara se descai com o nome Hugo num momento importante com Santiago, é aqui que as coisas entre o casal começam a aquecer no sentido de acertarem agulhas que estavam há muito desacertadas e que nem eles próprios sabiam;  o momento em que Hugo prende a Clara, este momento é importante porque provoca uma mudança mais nítida na cabeça da Clara em relação à pessoa que verdadeiramente ama; e, por fim, escolho o momento em que Santiago toma uma posição mais assertiva e revela um lado da personalidade mais intenso e cativante.  

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.
 
19
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Questões parte 4


1. O que achas das conversas imaginárias que as personagens têm em momentos críticos?
Na minha opinião, estas conversas imaginárias ajudam a clarificar o pensamento das personagens e possibilitam-nos a nós leitores conhecer um bocadinho mais sobre o mundo interior das mesmas. Considero que, por vezes, a Carina exagera um bocadinho neste tipo de conversas, assim como perde algum tempo a descrever-nos os pensamentos das personagens. Não desgosto deste estilo de escrita, acho que neste livro em particular até estão bem enquadradas. Porém, acho que é uma característica da Carina que ela tem de começar a controlar um bocadinho para não deixar os leitores um pouco aborrecidos. Mas sei que ela anda a melhorar isso, e falo com conhecimento de causa.

2. Dizem muitas vezes que inconscientemente escolhemos os homens mais parecidos como os nossos pais. Achas que foi o que se passou com a Clara?
Talvez! Não posso afirmá-lo com certezas, mas acho que é uma possibilidade. E para Clara, Hugo constituía o mesmo desafio que o pai. Se por um lado ela tinha consciência que com 16 anos não conseguiria fazer nada contra o pai, com Hugo pensava que dando-lhe o seu amor e o seu corpo o poderia transformar numa pessoa melhor. E em todos os anos em que ela esteve com Hugo, o seu grande objectivo era fazê-lo mudar por ela e para ela. Mas as mudanças nas pessoas não acontecem desta forma, e ela apanhou com valentes "baldes de água fria" que a ajudaram a aprender algumas coisas, mas não a esquecer Hugo. Conscientemente, ela acredita que por debaixo daquela capa de mau, Hugo poderia guardar alguma coisa boa.

3. A Tatiana diz que a Clara e o Santiago são dois estranhos a viver na mesma casa, partilhas da mesma opinião?
Sim, acho que a Tatiana tem um pouco de razão. Clara nunca conseguiu entregar-se totalmente a Santiago. Nunca lhe revelou uma parte da sua alma, parte essa que continuava agarrada a um passado. Por outro lado, Santiago sempre se mostrou como um "nice boy", fazendo-lhe as vontades e transformando tudo à sua volta numa bola de sabão colorida e cheia de amor e alegria que tornava a vida daquele casal num mundo cor-de-rosa. Porém, Santiago nunca conheceu o lado negro da Clara e de um passado duro e que deixou marcas. E Clara nunca conheceu um Santiago capaz de ir à luta por ela, nunca lhe ouviu o tom mais áspero e a pequena brutalidade que permanecia adormecida dentro dele. Por isso, acho que esta visita do passado vai ajudá-los a conhecerem-se e construir um mundo mais realista e não num mundo cor-de-rosa cheio de silêncios e segredos marcantes. 

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.
 
18
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Desafio 4


Desafio 4
De Marta para Silvana: As personagens precisam de um rosto, qual lhe atribuis?

Este será o último desafio da nossa leitura conjunta e desta vez decidimos fazer algo diferente. A Marta deixou um desafio para mim e eu deixei um desafio para a Marta. 
A Marta desafio-me a dar uma cara às personagens.

Aqui ficam as minhas escolhas:

Hugo - Blair Underwood

Clara - Leandra Leal

Santiago - Diogo Morgado

Carolina - Priscilla Delgado
(Eu sei que a Carolina fisicamente não é bem assim, mas estava a ser muito complicado arranjar outra actriz... A forma como Priscilla representa na série Os protegidos lembra-me a Carolina).
16
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Questões parte 3


1. Achas que Clara ainda tem sentimentos pelo Hugo? Como vês a reacção dela a ele?
Depende a que tipo de sentimentos te referes. Se me disseres românticos, eu acho que não. Mas se me disseres que ela ainda alimenta algum tipo de carinho, isso penso que sim. Hugo representou para ela um marco na sua vida e, uma das coisas que ela sempre ansiou foi conseguir mudar as atitudes e a forma de estar do Hugo. Nunca o conseguiu, mas este regresso dele é como se estes sentimentos passados se reacendessem. Por isso, eu interpreto esta reacção de Clara a Hugo como um um reacender do carinho e da amizade que desenvolveu por ele. E lá a eterna esperança de que ele mude.

2. Depois dos pequenos vislumbres do início e continuação da relação da Clara com o Santiago, que desenvolvimentos mudarias para que aquela relação não tivesse tantos momentos precipitados para um e para outro fosse algo completamente normal.
Uma pergunta difícil, esta. Eu poderia aqui referir que tudo seria mais fácil se a Clara tivesse conversado com Santiago acerca do seu passado. Mas perguntar-me-ia sempre: será que ela estava preparada para falar deste passado? Eu acho que não, porque lá no fundo ela sabia que era algo que iria abalar a relação dos dois. Acho que o facto de haver mais momentos precipitados se deve mais ao Santiago que sempre foi forçando a relação. Ele queria sempre mais de uma Clara insatisfeita e cheia de dúvidas. Quanto à Clara, esta foi-se deixando conduzir pelas coisas boas que esta relação lhe foi oferecendo, mas nunca acreditando muito no lado mais romântico e próximo que ele devia assumir.

3. Estavas à espera que o Hugo fizesse o que fez? Ou pensavas que ele se tinha redimido?
Eu dou sempre o benefício da dúvida às pessoas. É possível mudar! Porém, tendo em consideração que os últimos 10 anos de vida de Hugo foram passados na prisão e acalentando esperanças em relação à Clara, nunca acreditei que ele tivesse mudado verdadeiramente. Acho que ele precisa de algo mais forte que o faça redimir-se.

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.
 

15
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Desafio 3


Desafio 3
As personagens estão a precisar de ir ao cinema. Que filme as levavas a ver?

Clara
Eu levava a Clara a ver o filme O véu pintado. Neste filme, a personagem feminina aprende a gostar do marido depois do casamento. Acho que Clara iria gostar dela porque poderia identificar-se, em parte, com ela no sentido em que começa a dar mais valor ao marido depois de determinados acontecimentos.

Santiago
O Santiago está a precisar de descontrair. Por isso levava-o a ver Marley e eu. Para além de puder rir com as aventuras do cão, poderia ganhar forças para lutar pela sua família depois de assistir à família deste filme.

Hugo 
Por mim levava o Hugo a ver o Shrek só para ele ver que toda as pessoas têm direito ao seu final feliz. E que a felicidade também depende um pouco daquilo que somos capazes de fazer.


Leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.

12
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Questões parte 2



1. O que achas da atitude da Clara ao declarar que nada é para sempre quando uma das bases do casamento é essa?
Ela tem medo do compromisso e de não o conseguir levar até ao fim. Ela queria um compromisso com Hugo e ele nunca foi capaz do lho oferecer. Isto fragilizou a confiança dela e só lhe deixou muito sofrimento. Assim, Clara ganhou aversão aos compromissos, acreditando que nem tudo é para sempre. Quando menos esperamos, o destino ganha força e dá uma volta a tudo aquilo que temos como certo.
 
2. No presente é nos dado a entender que a Clara é uma pessoa forte e nada dada a sentimentalismo, por isso como vês a falta de frontalidade para com o marido?
Medo. Ela sente medo de perder tudo aquilo que ela foi construindo. Ela sabe que a relação está construída sobre uma base algo movediça que é o passado da Clara. Penso que ela está adorar este novo presente com Santiago, mas como tem consciência de há algo no passado dela que pode colocar em causa toda a sua família. Por isso, ele prefere guardar o seu passado. 

3. Para ti, até este momento, o Santiago teve alguma vez a certeza do amor da Clara?
Eu acho que não. O amor deles ainda não foi posto à prova. E assim, Santiago vai dando calor e forma a este amor. É ele que alimenta a relação, enquanto para Clara é todo um mundo novo que ela gosta, mas não sabe se pode confiar. Mas há-de chegar o dia em que estes dois vão acertar o seu amor no relógio do tempo.

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.
 
11
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Desafio 2


Desafio 2
Atenta nas personagens do livro. Escolhe uma citação/frase/poema para cada uma delas.

Clara
Todas as famílias felizes se parecem umas com as outras, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.
Leão Tolstoi
Acho que esta frase que inicia o livro Ana Karenina se aplica à Clara e à forma como ela vivência as relações familiares. De facto ela viveu a infelicidade com o pai e com o Hugo. A mesma infelicidade, mas de formas diferentes.

Hugo
Às vezes penso que o coração das pessoas é como um poço sem fundo. Ninguém sabe o que se encontra no seu interior. Não temos outro remédio senão dar largas à imaginação a partir do que aparece, volta e meia, à tona.
Haruki Murakami

Penso que esta frase define bem o coração do Hugo. Tenho certeza que se olharmos bem para o fundo conseguirmos encontrar algo de bom. Porém, a dor e o sofrimento estão a superfície e não deixam os sentimentos bons emergirem.

Santiago
Se vamos fazer algum caminho juntos, não quero que haja silêncios entre nós.
Marc Levy

Penso que o Santiago deveria ter sido mais duro com a Clara e ter lhe dito isto mesmo. Devia ter tentado eliminar os silêncios do passado. 
09
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Questões


1. Quando leste o 1º encontro da Clara e do Hugo, o que achaste da postura da Clara perante tanta oferta e oportunidades que saiam da boca do Hugo?
Clara era uma miúda ingénua e que facilmente caia naquilo que lhe acenavam à frente. Foi uma atitude impulsiva por parte da Clara, mas no fundo ela só pensou em liberdade. Em sair da realidade que ela conhecia e de que não gostava. 

2. Quando estiveram juntos o Hugo deu tudo à Clara. Não achaste pouco plausível ela ter conseguido andar na escola sem que a polícia a descobrisse e se já não bastassem as despesas de duas pessoas, ele ainda lhe pagou o curso, sabendo-se que é bastante caro andar na Universidade.
Não achei estranho. A Clara só regressou à escola quando fez 18 anos e foi para uma escola distante da sua área de residência. Como alguém maior de idade, ela já não precisava de dar satisfações a ninguém. Bem, quanto às despesas, o Hugo tinha vário meios de arranjar dinheiro e nem sempre eram os mais puritanos. 

3. Para ti faria sentido a Clara ter contado ao Santiago o seu passado com o Hugo?
Talvez... Mas penso que o medo que a Clara sente e a vontade de querer começar de novo, a levaram a ocultar os acontecimentos. Nem sempre é fácil lidar com os segredos do passado, e muitas vezes temos medo da reacção das pessoas. Por isso, não pouco realista isto ter acontecido. É algo que acontece em muitas famílias: os segredos. E depois é sempre difícil ir lidando com o peso que esses segredos têm nas vidas das pessoas.

Esta é uma leitura conjunta com a Marta do blog I only have do livro A sombra de um passado de Carina Rosa.


07
Jan15

Retalhos de uma leitura conjunta | Desafio 1


Como já sabem, eu e Marta do blog I only have embarcamos em mais uma aventura em torno das leituras conjuntas. 

Desta vez o eleito foi o livro A sombra de um passado de Carina Rosa.


Desafio 1
Que livro oferecias a cada personagem para que eles o lessem? Porquê?

Hugo

O Patinho Feio

Por algumas razões que ainda não posso dizer, o Hugo teria de ler um livro com uma linguagem simples, daí ter escolhido um livro infantil. Escolhi este em particular para que o Hugo pense que nem tudo é mau. Quando menos esperamos a vida dá-nos uma oportunidade e nós decidimos agarrá-la. Será que o Hugo vai ter a sua oportunidade? Será que a vai agarrar?

Clara
Amor em lume brando
Amor em lume brando (Irmãos Martí, #2)

Com este livro a Clara poderia retirar algumas ideias para "aquecer" a sua relação com Santiago, ao mesmo tempo que fica a conhecer as consequências dos segredos numa relação. Talvez assim ela ganhasse coragem para conversar com Santiago.

Santiago
Breve história de amor
Breve História de Amor

Ele é romântico mas tem pouco tempo para ler, por isso recomendava-lhe este livro que contém breves histórias de amor. Assim, nos momento livres ele podia ler e pensar na sua própria história de amor com a Clara.

Tatiana
Orgulho e Preconceito
Orgulho e Preconceito

Com este livro a Tatiana poderia ver o que é que o orgulho faz às relações. Talvez assim ela reflectisse no seu próprio comportamento e fosse mais simpática para o Paulo. 


Carolina
Angili e o guarda-sonhos
Angili e o guarda-sonhos

A Carolina é uma criança, e como criança que é deve adorar o mundo da fantasia, dos príncipes e das princesas. Mas, acima de tudo, deve gostar imenso de sonhar, por isso acho que este poderia ser um livro adequado para ele.
03
Jan15

Janeiro | Português no Feminino + Leitura Conjunta



Para o mês de Janeiro e a Marta decidimos ler a mesma autora e o mesmo livro dessa autora. Por essa razão, achamos que seria uma boa ideia fazermos uma leitura conjunta.



Estão curiosos por saber quem foi a eleita de Janeiro?

A escolha não foi difícil. A eleita foi a autora Carina Rosa. 


O livro que escolhemos para Janeiro e para a nossa leitura conjunta foi o mais recente trabalho da autora, publicado pela Coolbooks - Porto Editora e que tem o sugestivo título A sombra de uma passado.




Vamos iniciar a leitura no próximo dia 5 de Janeiro e podem contar com desafios e perguntas. 

No fim, ainda vamos publicar uma entrevista com a autora, que muito gentilmente acedeu a responder às nossas perguntas. 

22
Dez14

[Divulgação] Leitura Conjunta | Hans C. Andersen


Já estavam com saudades das leituras conjuntas que eu a Marta (blog I only have) começamos a dinamizar durante este ano? Pois, também nós estávamos tanto que decidimos utilizar estas últimas duas semanas para fazer uma leitura conjunta especial. 

Assim entre os dias 22 e 30 de Dezembro eu e a Marta vamos dedicar as nossas leituras a 5 contos de Hans C. Andersen. 
De entre vários que tínhamos à escolha, decidimos eleger os seguintes:

A Rapariguinha e os Fósforos (22 de Dezembro) 
O Abeto de Natal (24 de Dezembro) 
A Rainha da Neve (26 de Dezembro) 
A Pequena Sereia (28 de Dezembro) 
A Princesa e a Ervilha (30 de Dezembro) 

Como já vem sendo hábito, estas leituras serão acompanhadas de pequenas perguntas no final de cada conto. 
Esperamos que este desafio seja do agrado dos nossos leitores. 
21
Set14

Retalhos de uma leitura conjunta


E chegou ao fim mais uma leitura conjunta!!! Por isso, estas são as últimas perguntas que eu e a Marta temos para responder. Mas não será o fim das nossas leituras conjuntas. Apanhamos-lhe o gosto e já temos mais planeadas.

1. Que te diz da pessoa Mr. Collins ao declarar a um pai que preferia que Lydia estivesse morta e não na situação em que se encontrava?
Tu sabes que eu até acho uma certa piada do Mr. Collins. No fundo, ele está a representar esta classe social e a mesquinhez que por vezes as pessoas ligadas à igreja alimentam. Esta atitude dele só revela isso mesmo, que é tão mesquinho que prefere agir de acordo com as boas condutas da sociedade, pensando nos escândalos e na forma como os outros reagirem a eles, do que olhar para as pessoas e olhar sensatamente para elas no sentido de as ajudar, me vez de prejudicar.

2. Elizabeth sempre se mostrou contra o preconceito de Mr. Darcy para com a sua família e sua baixa condição, mas diz-me como é que ela própria assume que quer viver uma vida em Pemberley "longe daquela sociedade tão pouco agradável a ambos."
Aquilo que responde à atitude de Elizabeth é o amor (Marta, acho que o teu rancor pela Elizabeth não te está a permitir ver o lado cor-de-rosa do romance). O que é certo é que Elizabeth se apaixonou por Mr. Darcy e quer viver com ele usufruindo da paz do jardim da casa dele! O amor faz esquecer muita coisa e ela passou a olhar para Mr. Darcy de maneira diferente, depois de ele ter feito o que fez pela irmã,

3. Qual foi a personagem que mais te surpreendeu em toda a história? E porquê?
Foi o Mr. Collins, porque muitas vezes tinha saídas muito bem pensadas por parte da escritora. Por muito que esperasse que ele fosse bom com a palavra, devido ao facto de ser pastor de uma igreja, ficava sempre surpreendida com a forma como ele usava as palavras em seu benefício, como forma de atacar os outros de uma forma subtil. Pronto, achei piada ao homem e assumiu um papel engraçado na história. 

4. Diz em que medida achas que o título se aplica nesta história.
O título aplica-se à história uma vez que o orgulho e o preconceito de muitas personagens limita a sua interacção. Se não vejamos, se o Mr. Darcy não tivesse aquela atitude inicial de preconceito para com Jane, não teria influenciado Mr. Bingley. Se a Elizabeth não fosse preconceituosa para com Mr. Darcy teria sido mais amável com ele e se não tivesse sido muito orgulhosa teria reconhecido o seu amor por ele mais cedo. 

Leitura conjunta com a Marta do blog I only have