Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Por detrás das palavras

09
Nov17

Opinião | "Os meus poemas não rimam" de Ana Beatriz Cruz

Os Meus Poemas Não Rimam
Classificação: 3 Estrelas

Tenho um gosto particular por poesia. Gosto de ler os poemas em que as palavras se encaixam de forma perfeita para transmitir sentimentos, vivências, paixões ou simples pensamentos.
Em Os meus poemas não rimam, Ana Cruz apresenta-nos um conjunto de poemas muito intimistas. No fundo, encontramos "arranjos" de palavras que transmitem aquilo que Ana sente pelo Mundo em que vive e pelas pessoas que preenchem o seu mundo.

São poemas que deixam passar a sensibilidade e permitem que ela chegue até nós. 
É um livro que se lê muito facilmente. Os poemas não são complexos, porém fazem-nos pensar sobre a vida e sobre de que forma deveríamos olhas para as coisas. Para uma chuva que nos purifica e limpa a alma, para aquele amor bom que nasce de uma construção conjunta, para aquele momento presente que queremos congelar no tempo para absorver mais dele.

Espero que a autora continua a partilhar mais da sua poesia connosco e, quem sabe, aventurar-se pelo estilo narrativo, já que a autora "sem palavras não consegue viver".

Nota: Este livro foi-me disponibilizado pela autora em troca de uma opinião sincera. 
05
Mai17

Opinião | "Mors Tua, Vita Mea: A tua morte, a minha vida" de Vanessa Santos

Mors Tua, Vita Mea: A tua morte, a minha vida
Classificação: 1 Estrela

Li o livro Mors Tua, Vita Mea: A tua morte, a minha vida a convite da autora Vanessa Santos. Tenho que agradecer-lhe o convite e a oferta do livro. Obrigada, Vanessa!

Infelizmente não foi uma leitura muito agradável. É um livro que apresenta algumas falhas, falhas essas que tornam a leitura difícil e nos oferece pouco prazer. 
Os problemas começam desde logo com a forma como livro está estruturado. É uma estrutura confusa e pouco coerente, como já partilhei com a autora, temos a sensação que estamos a ler dois livros. E depois os erros ortográficos que são bastante significativos. Desde logo, estes aspetos quebram o ritmo de leitura. 

Em relação ao enredo, este é pobre em termos de aspetos essenciais para a nossa compreensão da estória. A autora "perde-se" com reflexões paralelas que, em alguns casos, tornam a leitura um pouco aborrecida. Este aborrecimento advém do facto de estarmos a ler algo que não nos ajuda em nada para a compreensão da narrativa, nem para conhecer melhor as personagens que povoam aquelas páginas. 

Há situações relacionados com as personagens e com as relações que elas estabelecem que, aos meus olhos, pareceram forçadas. Não me soaram naturais, fluídas e que encaixam bem umas com as outras. Os diálogos também mereciam mais investimento. Era importante para mim sentir que estava a ver a cena. Desejei muito que autora me mostrasse as coisas, em vez de, simplesmente, mas contar. Queria envolvência, queria ver sentimentos a nascerem e a cruzarem-se em momentos de romance e conflito. 

No seguimento do que já escrevi, vem a minha impressão relativamente às personagens. A Sara precisava de se mostrar mais adulta e madura. Em certas ocasiões parecia mais uma adolescente do que uma jovem adulta. Hélio e Cláudio mereciam uma melhor apresentação e contextualização do seu papel e função na narrativa. 

Fico triste por não oferecer palavras melhores à Vanessa. Antes de publicar a opinião "falei" abertamente com ela e esmiucei muito mais sobre os pontos negativos do livro. Ela foi de uma humildade louvável. "Ouviu" e partilhou comigo a sua visão sobre o livro. Tendo em contas estas qualidades, queria ter palavras mais inspiradoras para descrever esta minha experiência com o livro. Porém, eu considero que devemos sempre ser honestos com aquilo que escrevemos sobre os livros que lemos. Só assim passamos uma visão verdadeira e conseguimos ajudar os autores que ainda estão a iniciar o seu percurso. 
Desejo muito que a Vanessa não fique por aqui e que cresça enquanto escritora. E que nós estejamos aqui para assistir. 


14
Abr17

Opinião | "Soberba Ilusão" de Andreia Ferreira (Trilogia Soberba #3)

Soberba Ilusão (Trilogia Soberba, #3)
Classificação: 2 Estrelas

Soberba ilusão não é um livro que se encaixe nos meus gostos literários. Li os dois primeiros, mas muito pouco me ficou das personagens e da narrativa, o que tornou difícil esta leitura. Gostava de dar mais, mas a minha falta de simpatia para com a estória não me permite. 

Para quem gosta mais do género ligado à fantasia, aos anjos e vampiros penso que esta trilogia será uma excelente aposta. Posso dizer que, esta trilogia, termina num livro estruturalmente melhor que os seus antecessores, nota-se uma preocupação da autora em criar um fio condutor perceptível e pautado por momentos que prendem o leitor. 
É um livro bem escrito, bem estruturado e que dá um final muito bom a esta série. Apesar de tudo eu gostei muito do final. Terminou de uma forma interessante e que nos faz pensar sobre a vida das personagens após certos acontecimentos.

Contudo, não consegui criar muitas ligações com o livro, mas não se deixem levar totalmente pela minha opinião. E, se gostam de fantasia, apostem nos livros e, acima de tudo, apoiem a literatura nacional e os talentos que vão surgindo. Quem me segue, já vai conhecendo um bocadinho os meus gostos e sabe que este tipo de livros não se encaixa nas minhas preferências de leitura. 

Acreditem que é muito difícil escrever que não gostamos de um livro que nos foi oferecido pela própria autora e que conhecemos pessoalmente. 
Foi um livro que me foi entregue em mãos pela Andreia (a quem agradeço a oferta, mais uma vez). Depois deste encontro, já me voltei a encontrar com ela e tivemos uma conversa agradável. A Andreia é esforçada, curiosa e, quando não sabe procura informar-se e dar o melhor que pode ao seu trabalho. Por tudo isto, é muito complicado não classificar melhor o livro. Se fosse pela escritora trabalhadora e empenhada que conheci, merecia mais. Acho que a Andreia já estava um bocadinho à espera, mas como já lhe disse, conhecendo um trabalho dela que é posterior a esta trilogia e que achei com uma narrativa bem mais interessante, não consigo dar uma classificação maior a este. 

Acima de tudo, desejo imenso sucesso à Andreia e espero que ela saía mais da sua "zona de conforto" (livros deste género) e nos mostre a versatilidade na construção de novas narrativas.