Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Por detrás das palavras

Opinião | "Conduz o teu arado sobre os ossos dos mortos" de Olga Tokarczuk

Untitled design (34).jpg

Conduz o teu arado sobre os ossos dos mortos foi o livro mais peculiar que li este ano. Num estilo muito próprio de contar histórias, Olga Tokarzuk leva o leitor ao universo rural da Polónia, mas especificamente a um planalto pouco habitado. 

Entre os moradores está uma engenheira reformada e  professora de inglês em part time, já com alguma idade e com um estilo de vida muito peculiar e uma forma muito pessoal de olhar para o que a rodeia. A sua mente artuta e fora da caixa foi um desafio para mim. Por vezes, senti dificuldade em acompanhar o seu pensamento e as suas teorias relativamente aos crimes que começaram a surgir na aldeia. O que me é que me dificultava? Os nomes que ela criava para os habitantes. Ela não gostava do seu nome próprio e, também, não devia gostar dos nomes dos outros pois criava os nomes que ela entendia ser mais de acordo com a personalidade dessas pessoas. Para mim foi muito difícil associar os nomes criados por ela as pessoas. Exigiu mais atenção da minha parte para conseguir criar todas as conexões necessárias. 

Esta mulher, alta defensora dos animais, regia-se por aquilo que entendia ser o melhor estilo de vida. Foi interessante ver a forma como ela manifestava as suas opiniões e reflexões ao longo do livro.

E no meio de todas estas excentricidades, ocorrem uma série de crimes que exige resolução. Janina torna-se um elemento ativo nesta resolução, apresentado como possível explicação para os crimes uma vingança da natureza. A sua posição crítica em relação à caça e à forma como o ser humano comunga com a natureza são aspetos muito vincados neste livro e marcam a ação e a evolução da narrativa.

Foi uma boa experiência de leitura. Não considero que seja um livro capaz de agradar a todos os leitores dadas as particularidades relacionadas com a construção da narrativa e o estilo que a escritora usa para contar a história. O final conseguiu surpreender-me e deixar-me com vontade de conhecer mais obras desta escritora.

Classificação

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub