Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Por detrás das palavras

Visões (#2) | Eurovisão

Resultado de imagem para eurovision 2018

Eu sou bastante fã da Eurovisão e este ano, depois da vitória de Salvador Sobral no ano passado, vivi-a com um sabor especial. Como escrevi aqui este certame dá-nos a possibilidade de conhecer músicas para além daquela que nos chega com alguma frequência dos EUA e as culturas dos diferentes países participantes.

De uma forma geral, acho que a RTP fez um excelente trabalho na construção do público e no desenvolvimento dos espetáculos. Achei exagerado termos quatro apresentadoras, pois pareceu-me que tudo ia ficando demasiado disperso. De todas destaco Filomena Cautela e Daniela Ruah que foram aquelas que me pareceram mais à vontade e com uma presença especial nos momentos em que tinham destaque.

Vou começar pelo Festival da Canção, realizado em finais de fevereiro e inícios de março para a escolha da nossa representante nacional. Gosto bastante d'O jardim, mas a minha preferida era Só por ela interpretada por Peu Madureira.
Resultado de imagem para O jardim Cláudia Pascoal      Resultado de imagem para peu madureira

O Jardim é uma música bastante bonita, com uma letra tocante e com um toque de modernidade que nos dica gravado na memória. Apesar de não a achar suficiente para ganhar, dada a qualidade de outras músicas a concurso, acho que o último lugar foi muito injusto. Se havia músicas superiores, também havia outras com menos qualidade que a nossa.

Assisti às duas semi-finais, sendo que foi a primeira que mais me fez doer o coração. Estavam lá grande parte das minhas preferidas e fiquei muito triste com a eliminação da Suíça e da Bielorrússia. Fiquei um pouco desiludida com a prestação da Bélgica e da Grécia. A Grécia tinha uma música com um dos poemas e sonoridades mais bonitos deste ano. O toque étnico associado à cadência do grego ofereciam uma misticidade à música que me deixava presa. Ouvia-a vezes sem conta. Chegou a palco e atuação falhou imenso. A voz estava completamente abafada pelo instrumental e o cenário tinha demasiados elementos distratores. Foi muito triste ver o quanto a atuação prejudicou a continuidade de uma música que era apontada como uma das favoritas à vitória. No vídeo que vos deixo têm a tradução da letra. Digam lá, não é um bonito poema?


Relativamente à segunda semi-final o único que eu retiraria era a da Hungria e colocaria a Polónia. Não sou fã de metal, por isso não me faria diferença a sua presença ou não. Um dos meus favoritos era Alexander Rybak. Sou fã dele desde a sua vitória em 2009, e desde aí que acompanho as músicas que ele vai lançando. Não é um cantor com grandes dotes vocais, mas ganha pela sua simpatia e pelo seu enorme talento com o violino. Vi a visita que ele fez à Orquestra Metropolitana de Lisboa e acho que todos ganharam com a sua presença (podem ver aqui). Este ano trouxe-nos a música That's how write a song, uma música divertida, que nos deixa com vontade de dançar e com uns efeitos especiais em palco muito engraçados. Porém é inferior ao eterno Fairytale. 

No domingo foi a grande final. Apesar de saber as favoritas nas casas de apostas estava à espera de algum tipo de milagre e que a votação se revelasse uma boa surpresa. Infelizmente, tal não aconteceu e acabou por ganhar a música Toy, da cantora Israelita Netta Barzilai. A primeira vez que a ouvi até achei piada, mas pela diferença dos efeitos vocais. Para além disso, acho que é uma música que funcionou muito melhor em estúdio do que ao vivo. A atuação é um pouco vazia e desprovida da intensidade que a gravação passa. Para além disso, é uma música que ao fim de algumas vezes a ouvi-la acaba por enjoar um pouco. 
Entretanto descobri uma versão fabulosa. Essa não me canso de ouvir.


Como podem perceber não ganhou nenhuma das minhas preferidas. Para mim, ganharia uma música dos seguintes países: Lituânia, Estónia, França, Itália, Áustria ou Bulgária. Se tivesse de escolher uma destas, talvez a de Itália ganhe mais da minha simpatia.
Vamos ver que músicas nos surgem no próximo ano e como será um novo espetáculo. Já estou ansiosa por mais.
Quem é que desse lado acompanha este certame?

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Translate

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Reading Challenge

2023 Reading Challenge

2023 Reading Challenge
Silvana (Por detrás das Palavras) has read 0 books toward her goal of 30 books.
hide

Palavra do momento

Por detrás das Palavras

O Clube Mefisto

goodreads.com

Mais visitados

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2015
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2014
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2013
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2012
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2011
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub